Ocorreu um erro neste dispositivo

sexta-feira, março 31, 2006

Um poema de Miguel Torga

Um poema de que gosto, de esperança, de ímpeto e convite a viver. Fica perfeito, e com mais força e pujança ainda, na boca dos ressuscitados de Cristo.

Vamos ressuscitados, colher flores!
Flores de giesta e tojo, oiro sem preço...
Vamos àquele cabeço
Engrinaldar a esperança!
Temos a Primavera na lembrança;
Temos calor no corpo entorpecido;
Vamos! Depressa!
A vida recomeça!
A seiva acorda, nada está perdido!

1 comentário:

Catarina disse...

Também gosto muito de Torga! Não conhecia esse poema dele.