Ocorreu um erro neste dispositivo

quarta-feira, fevereiro 01, 2012

LÍNGUA

sempre que tenho de falar, trava-se-me a língua na boca
Livro de Êxodo 4,10

Não falo, Senhor,
porque não sei
não há arcadas
que sustentem a minha voz
trava-se-me a língua é coxa
sempre que tenho
de discorrer sobre geada

o que me pedes, Senhor,
é como se cortasse
com lâmina mal afiada
a cabeça dum condenado,
não
me constranjas, Senhor,
a rasgar o silêncio
dentro do peito
fazê-lo falar mais o faz calar
como penedos corroídos
ao vento

1/02/12

Sem comentários: