Ocorreu um erro neste dispositivo

segunda-feira, fevereiro 15, 2010

AS ORIGENS DO AMOR E DO CIÚME EXPLICADAS AOS PEQUENINOS


Há dias, numas das rubricas do programa "Magasin de sainté au quotidien" do canal France 5, um dos especialistas residentes falou nas origens do ciúme e nas incidências de formas de ciúme nos dois sexos. Assim, as estatísticas revelam que os homens têm ciúme da traição sexual, enquanto as mulheres vão aos arames com a traição sentimental. Àqueles encoleriza que as parceiras prefiram o "truca-truca" com outros, a estas que os companheiros estejam é a na verdade com outras no pensamento.
Ora, que explicação há para isto? O especialista – e com ele a ciência – não têm dúvidas. A causa de tudo isto acha-se na evolução da espécies, e no motor desta, a sobrevivência dos mais aptos e a perpetuação do património genético destes.
O instinto do macho leva-o a procurar garantir a transmissão dos seus genes através da sua fêmea, e se possível de outras, daí que seja para ele inadmissível a intromissão de qualquer concorrente. A fêmea, por sua vez, sendo o elemento que cuida da prole, espera do seu macho que a fidelidade, para assim garantir para ela e para as ninhada a protecção e a sobrevivência.
Pronto, está explicado. Amor, paixão, flores, luares, rosas vermelhas, coração palpitante, suores frios, garganta seca, Deus é Amor, o Salomão do Cântico dos Cânticos? Os poetas, os amantes, Deus não sabem nada disso. Tudo se explica pela biologia. Com Camões, é preciso que "Cesse o que antiga musa canta / que outro valor mais alto se alevanta". Darwin, o supremo sábio, e seus discípulos, descobriram o segredo por tantos buscado!

É de esperar que os amantes homossexuais se ergam contra tal conclusão, pois no seu caso não estão implicadas nem a transmissão de genes nem a protecção da prole. Dirão certamente que o amor e o ciúme nada tem a ver com isso. E Safo, a lésbia e lésbica, que cantou soberbamente os sintomas físicos e emocionais do ciúme, a propósito de uma discípula sua, quando esta conversava com um pretendente?

E nisto até lhes dou razão. Querem tirar-me Amor, paixão, flores, luares, rosas vermelhas, coração palpitante, suores frios, garganta seca, Deus é Amor, o Salomão do Cântico dos Cânticos? E dão-me o quê em troca? Mera tirania dos cromossomas? Simples ditadura do ácido desoxirribonucleico? Não há pachorra!

Sem comentários: